Salvaguarda, salva mesmo?

Como a maioria deve saber, sou formado em, fiz dois dos meus três trabalhos de conclusão sobre o vinho e pretendo fazer um mestrado na área de bebidas. No último dia 23/04/2012, comprei um vinho brasileiro, da serra gaucha, pois gosto de experimentar o produto nacional, independente do tipo, gosto de incentivar e apreciar nosso mercado, que por sinal faz coisas muito boas.

Mas o que realmente me incentivou a comprar foi a tal da salvaguarda, vou colocar minha rápida opinião sobre a lei da salvaguarda para vinhos. O vinho em questão teve um custo para mim de R$18,90, um Tanat 2008, não muito caro e nem muito barato, qual foi minha expectativa com o vinho? Que estaria tomando um bom vinho, por este valor. Minha surpresa, o vinho não era bom, tinha defeitos clássicos de um vinho de R$10,00. Pouco corpo, pouco álcool pouco tudo. Moral, não adianta fazer salvaguarda e continuar produzindo vinhos de qualidade inferior, quem gosta de vinho vai pagar mais por um produto de qualidade. Tem outro detalhe, a salvaguarda não é aumento de impostos, e sim cota para vinhos importados, então o aumento será por procura maior que oferta.

Acho que a solução é educar o público a comprar vinhos nacionais de qualidade, ainda existe uma tendência de que vinho e produtos nacionais não são bons, isso é lenda, tem coisa muito boa sendo feita por aqui, vinhos e cervejas, falando de bebidas. O que precisa ser feito é uma conscientização do público, um aumento de incentivos para os produtos, especialmente o vinho, nacional e um controle sobre o que é produzido e importado.

Se o vinho que tomei fosse o primeiro nacional, eu teria uma péssima impressão sobre o produto e acabaria generalizando, como a maioria faz, dizendo que nosso produto não tem qualidade, mas sei que não é assim, sei que com um pouco mais de investimento é possível comprar um vinho de boa qualidade nacional. Sei também que grandes vinhos nacionais são produzidos por aqui, é tudo uma questão de escolha certa e para isso é necessário um conhecimento
básico, e é ai que o investimento e o foco do governo deveria estar concentrado, não regular as coisas pelo poder do dinheiro. Mas isso fica para outra hora, até lá leiam e se informem sobre a salvaguarda. Garanto que se o vinho fosse R$10,00 e não R$18,90 eu teria minhas expectativas atendidas, custo benefício.

Essa é a minha opinião, qual é a sua?

Abraços.

Anúncios

5 respostas para “Salvaguarda, salva mesmo?

  • Alemão Bergold

    E ai Chef.
    Será que rola um receita de cebola recheada…?
    Abraço

  • Cristiane

    Oi Chef! Tudo bem? Em primeiro lugar, parabéns pelo blog! Cheguei a ele procurando uma receita de molho de burro e sálvia para massas (que, aliás, vou fazer daqui a pouco). Já que você pediu a opinião dos leitores nesse post, segue a minha: acho que R$18,90 é um valor extremamente baixo para se pagar em um vinho. Costumo pagar no mínimo R$ 30,00 por um rótulo razoavelmente bom. Existem raras exceções como o Benjamim Nieto e o Argento (ambos argentinos), que custam cerca de R$ 17,00 e são muito agradáveis – pelo menos para o meu paladar. Sobre os brasileiros, estou por fora! Confesso que preciso arriscar mais. Abraços

    • Chef Du

      Olá, como ficou o molho buro e sálvia? Espero que tenha dado tudo certo.
      Exatamente, 18,90 é um bom valor para um vinho, porém o produto não condiz com o valor. A comparação é entre vinhos nacionais e importados, valores iguais e líquidos diferentes. Muito do valor do nosso vinho é imposto, uma vez que no Brasil vinho é bebida alcoólica e é taxado desta maneira, em outros países, Europa em geral, o vinho é alimento e taxado desta forma, ou seja imposto menor.
      Existem rótulos brasileiros maravilhosos, porém mais caros que seus concorrentes, afugentando os consumidores.
      Enfim, devemos nos preocupar em incentivar o nosso produto e se necessário, ai sim aplicar a salvaguarda.
      Abraços.
      Chef Du

  • Jonatan Vieira

    Chef Du, visitei o seu site por indicaçao de um amigo, a procura de pesos e medidas.
    Os vinhos nacionais ainda sao pouco incetivados pois muitas vezes nao valorizamos os produtos locais, porque tantas vezes falta investimento dos produtores para se fazer um produto de qualidade prefiro muitas vezes comprar um vinho importado. Agora as cachaças nacionais são maravilhosas juntamente com as cervejas.
    Mais com a lei da Salvaguarda vamos cada vez mais entrando nesse produto brasileiro.

    • Chef Du

      Olá, obrigado pela visita.
      Apesar de um pouco desatualizado acredito que as informações ainda são úteis.
      Com relação aos vinho, é uma soma de vários fatores, mas uma coisa eu te garanto, temos ótimos vinhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: