A praça é nossa!

Olá, no último sábado, dia 13/06/2015, aconteceu, pela primeira vez, o evento PRAÇA – Ocupação Cultural e Gastronômica, na praça Monsenhor Edmundo Backes na cidade de Novo Hamburgo, RS. Acabei participando do evento com uma barraca de comida, primeira vez. Fui a vários eventos destes que fornecem algum tipo de comida de rua, tanto com barracas quanto com os Food Trucks, mas este tem um apelo muito mais interessante, levar a comunidade a freqüentar as praças, estas tão abandonadas nas cidades. Alguns pontos positivos do evento, duração das 12:00 as 20:00 possibilitando que as pessoas e famílias escolham qual o melhor horário para aproveitar o evento, chimarrão do meio dia, da tarde ou do por do sol. Somente 5 barracas de comida, 4 barracas com cervejas artesanais e uma com água e sucos orgânicos. Parece ruim poucas opções, mas é bom para o público, que não perde tempo atrás de seu lanche e para quem está fornecendo a alimentação. Artesanato local dando mais opções do que somente comer e ir embora. Música mecânica e ao vivo, com qualidade, fazendo com que o público permaneça na praça por muito mais tempo. Por fim, pouca fila e espera para comprar sua refeição e sua bebida.

Conclusão, o evento foi muito bem aceito pelo público que entendeu a proposta de ocupar a praça, trazendo cadeiras, suas crianças e toda a família. Com isso quem sabe a prefeitura não melhore a infra-estrutura das praças, fazendo com que a população freqüente sem um motivo específico, somente para aproveitar o espaço ao ar livre.

Outro comentário pertinente, todos se comportaram muito bem, não teve nenhum copo plástico ou papel jogado no chão, deixando o local limpo, claro que a quantidade de lixeiras era compatível com o número de pessoas.

Foi? Gostou? Quer ir de novo? Não foi? Quer ir? Fiquem ligados no facebook pois com certeza novas edições devem acontecer.

facebook da praça

Até.

IMG-20150613-WA0000-1

Anúncios

Salvaguarda, salva mesmo?

Como a maioria deve saber, sou formado em, fiz dois dos meus três trabalhos de conclusão sobre o vinho e pretendo fazer um mestrado na área de bebidas. No último dia 23/04/2012, comprei um vinho brasileiro, da serra gaucha, pois gosto de experimentar o produto nacional, independente do tipo, gosto de incentivar e apreciar nosso mercado, que por sinal faz coisas muito boas.

Mas o que realmente me incentivou a comprar foi a tal da salvaguarda, vou colocar minha rápida opinião sobre a lei da salvaguarda para vinhos. O vinho em questão teve um custo para mim de R$18,90, um Tanat 2008, não muito caro e nem muito barato, qual foi minha expectativa com o vinho? Que estaria tomando um bom vinho, por este valor. Minha surpresa, o vinho não era bom, tinha defeitos clássicos de um vinho de R$10,00. Pouco corpo, pouco álcool pouco tudo. Moral, não adianta fazer salvaguarda e continuar produzindo vinhos de qualidade inferior, quem gosta de vinho vai pagar mais por um produto de qualidade. Tem outro detalhe, a salvaguarda não é aumento de impostos, e sim cota para vinhos importados, então o aumento será por procura maior que oferta.

Acho que a solução é educar o público a comprar vinhos nacionais de qualidade, ainda existe uma tendência de que vinho e produtos nacionais não são bons, isso é lenda, tem coisa muito boa sendo feita por aqui, vinhos e cervejas, falando de bebidas. O que precisa ser feito é uma conscientização do público, um aumento de incentivos para os produtos, especialmente o vinho, nacional e um controle sobre o que é produzido e importado.

Se o vinho que tomei fosse o primeiro nacional, eu teria uma péssima impressão sobre o produto e acabaria generalizando, como a maioria faz, dizendo que nosso produto não tem qualidade, mas sei que não é assim, sei que com um pouco mais de investimento é possível comprar um vinho de boa qualidade nacional. Sei também que grandes vinhos nacionais são produzidos por aqui, é tudo uma questão de escolha certa e para isso é necessário um conhecimento
básico, e é ai que o investimento e o foco do governo deveria estar concentrado, não regular as coisas pelo poder do dinheiro. Mas isso fica para outra hora, até lá leiam e se informem sobre a salvaguarda. Garanto que se o vinho fosse R$10,00 e não R$18,90 eu teria minhas expectativas atendidas, custo benefício.

Essa é a minha opinião, qual é a sua?

Abraços.


VI Encontro Aberto da Acerva Gaúcha

Olá pessoal, estou postando informações sobre um evento muito interessante, já comentado anteriormente no blog. O encontro aberto da acerva gaúcha, a diferença neste encontro é que estarei com cerca de 40 garrafas da Távola Bier, cerveja que faço artesanalmente com um amigo. Este é o grande diferencial deste encontro, cervejeiros artesanais tem a possibilidade de divulgar e mostrar as suas criações, além de microcervejarias e cervejas especiais como Coruja, DaDo, Lagom entre outros.

Se você gosta de cerveja não pode perder, se quer descobrir um novo mundo de cervejas com sabores e aromas diferenciados também não.

Como aprendi estes dias “Cerveja não é aquela coisa amarela que vende no super e custa 2 pilas”, se quiser descobrir as diferenças participe.

Segue algumas informações importantes:

O evento ocorrerá no dia 23 de outubro de 2011, domingo, das 12h às 17h, no Centro de Eventos Casa do Gaúcho, no Parque da Harmonia, em Porto Alegre.

Os participantes terão a oportunidade de degustar dezenas de cervejas artesanais caseiras e de microcervejarias, além de um excelente churrasco.

Já está a venda o primeiro lote de convites, com desconto, até 15 de outubro (sábado), no valor de R$60,00 (masculino) e R$40,00 (feminino). A partir do dia 16 de outubro, os valores serão R$70,00 eR$50,00, respectivamente.

Site da ACERVA GAÚCHA para maiores informações.

Nos vemos lá!

Chef Du.


VOLTEI!

Olá, depois de um bom tempo sem escrever no blog, voltei. No final do primeiro semestre, estava envolvido com o trabalho de conclusão teórico do curso e isso me roubou um bom tempo. Logo após, fui fazer o meu estágio obrigatório e lá se foi mai um mês. Agora, estou organizando as coisas e voltando a ativa no blog.

Muitos pediram receitas e digo que todas serão atendidas. Mas antes de colocar uma receita, quero compartilhar com todos vocês, a inesquecível experiência que tive no meu estágio.

Sempre busquei fazer um estágio em um local diferenciado, como no RS restaurantes de alto padrão não são tão comuns, decidi trocar de ares e acabei buscando um lugar no Rio de Janeiro. Alguns restaurantes entraram na lista, mas aquele que estava no topo era o Olympe, restaurante do já famoso e excelente, Chef Claude Troisgros, agora iniciando uma nova fase, com seu filho Thomas Troisgros. Então como quem não quer nada enviei um e-mail, marquei uma entrevista e acabei efetuando meu estágio neste maravilhoso restaurante.

Aprendi muito, receitas, método de trabalho, organização, funcionamento e claro, aquelas dicas que não se aprende em nenhuma escola.

Sou muito grato a todos que lá eu conheci. Essa fase da minha vida nunca será esquecida, conseqüentemente as pessoas que fizeram parte dela também não.

Segue algumas fotos.

Eloisio, Cida, Baiana, João Batista, Gilmar e Carlos Eduardo

Clássico

Da esquerda para direita: Bahia (Manuel), Márcio, Del, Bacabau, Raimundo, Victor e em baixo Domingos

Obrigado ao Clet, João Batista, Cida, Gilmar, Baiana, Domingos, Del, Victor, Márcio, Manuel, Raimundo e Bacabau. Todos foram fundamentais para o meu crescimento. Claro que não poderia deixar de agradecer aos Troisgros, Claude e Thomas pela oportunidade, obrigado.

Até a próxima, cordialmente

Chef Du


Tortinhas?

Olá chocólatras e aqueles que gostam de uma boa sobremesa. Estou postando uma receita fácil de fazer e muito deliciosa.

É uma torta de chocolate, lembrando que torta não é bolo, então acaba se tornando mais fácil e rápida de ser feita.

Na verdade serão 2 receitas, uma para a base da torta e outra para o recheio.

Base:

A base da torta é a tradicional e conhecida “massa podre” que na gastronomia é chamada de Pâte sucrée, pois vai açúcar e assim é utilizada para doces. A Pâte brisée é a mesma massa porém sem adição de açúcar, assim podendo ser utilizada em Quiches e outras preparações salgadas.

É sempre bom lembrar que as proporções devem ser seguidas a risca, pois qualquer variação pode gerar erros na preparação.

Pâte Sucrée – rende uma forma de aproximadamente 30cm

  • 250 gramas de farinha de trigo (peneirada)
  • 125 gramas de manteiga gelada e cortada em cubos
  • 100 gramas de açúcar (para um sabor ainda melhor pode utilizar açúcar confeiteiro
  • 2 gemas
  • 1 colher de sopa de água gelada se necessário

Modo de preparo:

Amasse em uma tigela a manteiga e o açúcar;

Quando estiver uma massa lisa e homogênea adicione a farinha e as gemas;

Continue a misturar os ingredientes até obter uns quantos grumos de farinha e manteiga;

Caso necessário adicione um pouco de água gelada;

Agrupe todos os grumos em uma grande bola de massa, sem misturar demais;

Passe filme plástico e reserve na geladeira por 20 a 30 minutos;

Após reservar abra a massa com o auxílio de um rolo;

                Para facilitar abra dentro de um filme plástico;

Coloque a massa em uma forma de fundo removível, deixando uma borda de aproximadamente 3 dedos sobrando na lateral da forma;

Faça furos com o auxílio de um garfo no fundo e nas laterais da massa;

Leve ao congelador por cerca de 10 min antes de assar;

Asse em forno médio 160° C por cerca de 25 min ou até dourar a massa;

Reserve;

Recheio:

  • 350 gramas de chocolate meio amargo
  • 200 ml de creme de leite
  • 60 gramas de manteiga
  • 75ml de leite
  • 75 gramas de açúcar

Modo de preparo:

Derreta o chocolate em uma tigela e misture o creme de leite, o leite, a manteiga derretida e o açúcar, mexendo bem. Se necessário aqueça novamente no microondas;

Adicione essa mistura em na base de massa pronta e leve ao refrigerador por cerca de 30 minutos.

Pronto, sua torta está pronta para ser servida. Desenforme e decore com chocolate em pó polvilhado por cima.

Quem já provou sabe que é um espetáculo. Só cuidado para não comer tudo de uma vez só, pois como não é muito doce, a torta não se torna enjoativa.

Uma excelente pedida é servir com um espumante brut da Cave Geisse que tem ótima sustentação para o prato.

Abraços.

Chef Du.


Comemorações pelo dia do Vinho

Olá a todos, aqueles que me conhecem sabem que sou um apaixonado por vinho, assim sendo, não poderia deixar de registrar o que o governo do Estado do Rio Grande do Sul, em parceria com outras instituições, estão fazendo para comemorar o Dia do Vinho celebrado no dia 27 de maio.

Serão 10 dias de atividades e eventos especiais em cidades específicas e importantes para o vinho Gaúcho.

Início no dia 27/05/2011 e vai até 05/06/2011, para maiores informações acessem o site http://www.diadovinho.com.br/

Agora se você é do Vale do Sinos ou está indo para Gramado/Canela, tenho uma boa dica para comprar aquele vinho especial e ainda bater um papo com simpáticos conhecedores de vinhos.

Em São Leopoldo: Osmar Vinhos, ótimas opções, de nacionais a importados, além de um Osmar simpático e atencioso que até uma provinha de vinho te oferece.

Rua São Joaquim, 1063 – Centro – São Leopoldo , RS | Telefone: 51 3037-3455

Em Canela: Velha Laje Vinhos, excepcionais rótulos disponíveis e se tem algum vinho que gostaria em particular, o Jadir pode importar especialmente para você. Converse com ele, além de vinho ele entende de gastronomia, facilitando a harmonização. A adega é como se fosse a da casa dele.

Maiores informações acesse o site http://www.velhalaje.com.br/

Era isso, espero que tenham gostado das dicas.

Tim-Tim!

Chef Du.


Fenavinho 2011 Bento Gonçalves Serra Gaúcha

Se você adora um vinho, boa comida, viajar e ter uma boa dose de cultura, não pode perder esta festa por nada. A Fenavinho de 2011 iniciou no dia 29/04/2011 e tem o seu final marcado para 08/05/2011, ainda temos um final de semana.

Lembro de ir para esta festa com meus pais, quando ainda era criança, e assim como o vinho Gaucho, a Fenavinho evoluiu para melhor. Jantares harmonizados e chef’s convidados, como a Roberta Sudbrack, uma das melhores chef’s do Brasil, marcam presença hoje nessa festa.

Quando criança lembro-me de receber uma taça de plástico e 4 “vales”, dois de vinho tinto e dois de vinho branco. Estes vinhos eram servidos direto dos garrafões. Hoje, garrafas de alto nível são abertas, pelas dezenas de vinícolas presentes.

Maiores informações acessem o site oficial da feria.

http://www.fenavinhobrasil.com.br/

Saúde e nos vemos por lá.

Att.

Chef Du.